Buscar
  • Redação - Árvore Seca

Especial bandas Festival Bem Ali: Wizened Tree

Por SideTrack Magazine



Wizened Tree


Dando continuidade à contagem regressiva para o Bem Ali, agora vamos apresentar uma das veteranas do festival: a Wizened Tree não só tocou em todas as edições anteriores, como também faz parte da criação e realização do evento. Formada pelos irmãos Artur Pery (vocais e guitarra) e Davi Pery (bateria), juntamente com os amigos de longa data Douglas Vilela (guitarra) e Felipe Martins (baixo), a banda lançou recentemente o EP Rock N Roll From Tocantins, de forma independente, o que chamou a atenção de um selo californiano e, depois disso, bem, só rolou coisa boa!


A banda está fazendo, desde o último fim de semana, a turnê do disco, que foi iniciada em sua terra natal, Palmas (TO), e passará por cidades como Goiânia (GO) e Brasília (DF), até estarem de volta ao seu lugar de origem para o festival, que acontece no próximo dia 19 de outubro.

Com influências nos clássicos Black Sabbath, Led Zeppelin e The Doors, e também de sons mais atuais, como System of a Down e Deftones, a participação da banda tocantinense já virou uma tradição, que segue sendo esperada no Bem Ali, e claro que nós quisemos saber da própria Wizened, tanto como banda, quanto como parte da produção, quais são as expectativas para o evento. Confira abaixo!

SDTK: Primeiramente parabéns pelo EP! Como foi a recepção do público com as novas músicas? E podemos esperar ouvir alguma delas ao vivo no Bem Ali?

WT: Foi boa! Foi um mês de lançamento intenso. Nesse meio tempo, foi feito lançamento online, e tivemos várias vendas online no Bandcamp (mais de 100 aquisições), e lá o pessoal também pode dar o feedback, então era legal que eles deixavam a música favoritas com o feedback do álbum. Tivemos vários elogios para músicas diferentes. E sim, todas as músicas do EP serão tocadas no Festival. Por isso, escute online para tocar conosco um dia e fazer um rolê mais Rock N’ Roll, né? (risos)


SDTK: Recentemente vocês assinaram com um selo americano: como rolou essa parceria? Vocês já têm planos para um álbum?

WT: O rolê do selo foi que o cara da Fuzzy Cracklins [selo] comprou nosso single, Give the Rain, que foi lançada online em junho. E aí o cara curtiu, elogiou, fez o feedback do Bandcamp também e quando lançamos o álbum ele comprou e curtiu mais ainda! Trocamos ideias via Instagram mesmo, e aí fechamos parceria de lançamento do CD físico lá na Califórnia, que é onde o selo está situado. Os CDs já estão à venda na Califórnia e agora aqui no Brasil também. Então, está rolando duas edições diferentes de CD, que é a edição gringa com uma demo de Drown Myself, e na brasileira Beside the Sun em demo.


Em questão do próximo álbum, a gente planeja lançar outros álbuns porque temos outras músicas. Mas esse aqui já considero como álbum, porque estamos fazendo todo o lançamento completo… só chamamos de EP porque foi um pouco reduzido em razão desse primeiro momento da banda.


DTK: A banda é veterana no Bem Ali, o público do festival já conhece bem o trabalho de vocês, além de serem um dos shows mais esperados do evento. Vocês acham que o Bem Ali contribuiu para o crescimento da banda, no sentido de cada vez mais gente ter tido a chance que ver vocês tocando ao vivo durante esses anos de festival?

WT: Um contribuiu para o crescimento do outro, com certeza. Mas relembrando o início de tudo, tínhamos a Wizened Tree e não tínhamos lugar pra tocar porque éramos uma banda com 5 músicas cantadas em inglês que ninguém conhecia, e então a gente literalmente inventou o primeiro Bem Ali! Chamamos várias outras bandas, pra podermos tocar aqui no Bem Ali. Então com certeza essa história está toda entrelaçada e a gente aproveita ao máximo essa oportunidade do evento estar crescendo para espalhar nossa música pro público novo que vem agregando com a Árvore Seca… E por consequência a Wizened Tree, a Árvore Seca e os eventos, Tanto para nós, quanto para as outras bandas que estão com a gente desde o começo.


SDTK: Agora falando como parte da produção do evento: Qual a expectativa para essa edição, e o que vocês acham que será diferente dos outros anos?

WT: Esse ano teve uma expansão grande da Árvore Seca, muito por causa da aquisição do nosso espaço, a Casa da Árvore, onde fizemos vários eventos e trouxemos muitas bandas, e o público podendo estar mais próximo de nós esse ano: conhecendo nosso espaço, melhorando ele… Vendo nosso trabalho caminhando… Com certeza será um fator bem preponderante para o Bem Ali desse ano ser diferente, porque o contato do público com a gente esse ano está sendo mais intenso de uma forma geral.


SDTK: Pra finalizar: Como vocês apresentariam a banda pra galera que está indo para o Bem Ali pela primeira vez?

WT: Som pesado pra galera que tá chapada!

4 visualizações
bottom-partners1.png
bottom-partners2.png

Festival Bem Ali 2019 © Árvore Seca Produtora

Site desenvolvido por Nikolas Sena

  • social-instagram
  • social-facebook
  • social-twitter
  • social-youtube